* CLIQUE AQUI para listar este texto junto com todos os demais artigos sobre Cronogramas Baseado em Restrições. Isso pode ser feito antes de ler o texto, para identificar os demais conteúdos relacionados.

 

* CLIQUE AQUI para ver a primeira parte deste artigo.

Dando continuidade ao tópico sobre Cronogramas baseado em restrições, temos a obrigação de nos perguntar por que tão raramente encontramos cronogramas com recursos de fato definidos para cada tarefa. O CPM – Critical Path Method é considerado a base para o planejamento moderno de projetos e ainda assim ignora fatos do mundo real em uma modelagem de um cronograma: disponibilidade de recursos.

Se meu cronograma me serve para acompanhar contratos e serviços de terceiros, posso me dar ao luxo de pensar em um primeiro momento de que é adequado criar apenas dependências entre tarefas e ignorar a ausência ou disponibilidade de recursos.

 

Ao tomar esta atitude, como está de fato o cronograma do terceirizado que irá me prestar o serviço? Ele está a par dos recursos efetivos que necessita para cumprir seus compromissos comigo ou não foi tudo um chute e em breve o projeto começara a se atrasar com toda a culpa sobre o Murphy e nunca sobre o fato de que o cronograma era apenas ficção científica desenhado em uma folha de papel?

 

Na minha cabeça, como cliente ou contratado, cronogramas SEMPRE precisam ter recursos aplicados. O nível de detalhe é determinado pelo tipo de projeto, sua duração, seus riscos, maturidade das equipes, conhecimento prévio do assunto, entre outros. Ainda assim, atividades não ficam pairando soltas no ar.

 

Dizem que reconhecemos um bom líder quando encontramos alguém que prefere tomar uma decisão errada a não tomar decisão alguma. Em um cronograma, é mais adequado errar em todas as estimativas de recursos necessários, cargas e durações do que simplesmente omiti-las de meu planejamento.

 

Para dar continuidade ao assunto, vou criar algumas ilustrações com o uso da versão gratuita do Spider. Para aqueles que estiverem interessados não só em acompanhar os conceitos, mas experimentar variações em um planejamento em função de recursos, eu solicito a instalação do aplicativo que pode ser feita pelo site do The Spider Team.

Nota: Embora no primeiro artigo desta série eu tenha dito que existem algumas diferenças entre cronograma baseado em restrições, CCPM, SDPM e RCP, eu acredito que somente os cronogramas extensivamente trabalhados com a aplicação de recursos são dignos de serem chamados de cronogramas baseados em restrições e – neste contexto – todo e qualquer texto que eu falar sobre o assunto poderá ser achado pela tag [RCP].

(Este assunto continua em posts previstos para 2010).